Desenvolvimento Pessoal · Psicologia

Autoestima: Como Cuidar? A Importância do Querer-se Bem!

Em tempo de exposição da imagem nas redes sociais, muito se fala sobre a autoestima, mas nem sempre ela é exercitada de forma saudável fora do mundo virtual. E você, sabe como cuidar da autoestima de forma saudável? Vamos começar descobrindo algumas coisas importantes:

Autoestima – O que é?

Autoestima como cuidar?
Bem se queira!

Autoestima é querer-se bem, cuidar de si com intensidade suficiente para mudar o que te angustia e se alimentar emocionalmente com o que promove leveza no caminhar, mesmo em tempos de tempestades. É acreditar que todo dia é dia de redescobrir partes de você, sem o peso de superar as expectativas imposta por outras pessoas.

Autoestima, Como ela interfere no dia a dia?

Autoestima

A autoestima influencia de forma direta como o indivíduo se coloca no mundo e como encara os desafios encontrados ao longo da vida. Quando há uma autoestima preservada a vida é vivenciada com mais leveza, favorecendo relações produtivas e saudáveis em vários setores, como por exemplo, na vida amorosa, no desempenho acadêmico e no âmbito profissional.

Vale ressaltar que, a autoestima é muito mais do que se sentir realizada (o) e satisfeita (o) apenas com a aparência e com os aspectos corporais. É se olhar além da imagem refletida no espelho, é ser capaz de reconhecer as próprias potencialidades, aquilo que o indivíduo faz de melhor e principalmente reconhecer quais características precisam ser aperfeiçoadas, ou seja, é um amar-se a partir de um movimento realizado de dentro para fora.

Veja também:  “Síndrome do Ninho Vazio”: quando a casa barulhenta se torna silenciosa!

Autoestima – Como cuidar em cada fase da vida?

A autoestima é construída ainda na infância e vai se expandindo ao longo da trajetória pessoal. Na infância os pais são os responsáveis por exercer os primeiros cuidados com a autoestima e auxiliar na construção saudável deste sentimento, através de um ambiente acolhedor onde há espaço para exercer o reconhecimento diário das potencialidades, valorizando e respeitando os comportamentos positivos realizados pela criança.

Autoestima
Exercite sua autoestima!

Na adolescência há um turbilhão de emoções acontecendo ao mesmo tempo e uma preocupação excessiva com a necessidade de pertencimentos a grupos e a busca da própria identidade. Nessa fase é imprescindível exercitar a importância do amor próprio e o afastamento da necessidade de ser pertencente a um padrão específico de beleza.

Quando a autoestima é preservada na adolescência, evita-se inclusive o sofrimento por violências como o bullying, como apresentado no texto “Com o Bullying não se brinca: 5 perguntas essenciais para entender, identificar e combater!

Na vida adulta é o momento em que mais as questões profissionais, os deveres e obrigações ocupam um espaço tão intenso em que o indivíduo acaba não encontrando tempo e desaprendendo como cuidar da autoestima. Nessa etapa da vida os questionamentos se tornam tão presentes que se a autoestima está distanciada há uma grande possibilidade de desenvolvimento de somatização e até mesmo de surgimento de doenças psíquicas.

Quanto mais o cuidado com a autoestima é exercido ao longo das etapas da vida, mais a velhice será uma etapa de pertencimento intenso do real significado de se aceitar de forma completa, de alma, mente e corpo!

Veja também:  Desenvolvimento da Criança - Afinal, quem controla quem?

Autoestima – O que acontece quando ela está baixa?

A autoestima fragilizada passa a ser preocupante quando o indivíduo deixa de participar de situações, como por exemplo, deixar de ir em festas por não se sentir confortável; deixar de aceitar oportunidades profissionais por não se sentir capacitado para o cargo (mesmo apresentando todos os pré-requisitos para a vaga); ou  ainda, deixar de se relacionar com outras pessoas por não se sentir atraente e boa/bom o suficiente para manter uma conversa interessante.

É importante ressaltar que a autoestima fragilizada não é uma doença, mas se não houver um espaço potencial para o cuidado deste sentimento, pode ocorrer à abertura para a existência de alguns transtornos psíquicos, como o Transtorno Depressivo, Transtorno de Ansiedade Generalizada e etc.

Autoestima – É possível reconstruir o cuidado com ela?

É no processo de psicoterapia que o indivíduo aprenderá como cuidar da autoestima, promovendo um fortalecimento emocional, aprendendo a exercer a valorização do que faz de melhor, reconhecendo as falhas, promovendo o amor próprio, respeitando a história de vida e exercitando através das vivências cotidianas a autoconfiança.

Não podemos deixar de enfatizar que a beleza vem da essência de ser quem de fato você é. E que a melhor roupa ainda é um sorriso nos lábios, o amor e o respeito reciproco com a vida e consigo mesmo. Cuide-se: do corpo, da alma e dos sentimentos! Não se abandone, o primeiro passo para a recuperação da sua autoestima só depende de você, comece acreditando que você é capaz de exercê-la!

Veja também:  Não deixe que o medo te paralise! 

No programa Movimento Jovem, conversamos um pouquinho sobre Como Cuidar da Autoestima, sobre a importância de exercitar diariamente a autoestima e o quanto precisamos reconhecer que esse sentimento tem capacidade de promover ganhos psíquicos e emocional quando bem fortalecido. Acompanhem o vídeo e sintam-se a vontade para deixar suas impressões sobre o tema!

Psicóloga Aline Lisboa dá dicas de Como Cuidar da Autoestima (Programa Movimento Jovem)

Gostou do post? Dê um curtir no Facebook aqui embaixo…

  [optin-cat id=267]

Siga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *